text.skipToContent text.skipToNavigation

CARREFOUR LANÇA NO BRASIL PLATAFORMA DE CONTROLE PARA A COMPRA DE CARNE BOVINA

Sistema controla 100% da carne bovina in natura comercializada pela companhia a fim de mitigar os riscos socioambientais na cadeia

Cuiabá, agosto de 2016 – Nesta quinta-feira (25), o Grupo Carrefour Brasil lança sua Plataforma de Pecuária Sustentável. A partir de uma política nacional específica para a compra de carne bovina in natura, a companhia adota um sistema de monitoramento dos processos produtivos e das práticas socioambientais de todos os seus fornecedores no país. A ferramenta será implantada em parceria com os 22 fornecedores de carne bovina in natura que fornecem à empresa e que deverão atender rigorosamente aos critérios e boas práticas estabelecidas por esta política. A iniciativa reforça o compromisso global do Grupo Carrefour pelo desmatamento zero e seu empenho em manter parcerias que fomentem práticas sustentáveis de produção.

 

O anúncio acontece durante o evento ‘Diálogos sobre Pecuária Sustentável’, promovido pela empresa em parceria com o Governo do Estado do Mato Grosso, com a presença do Governador do Estado, Pedro Taques, do Diretor Geral Adjunto do Grupo Carrefour, Jérôme Bédier, do CEO do Grupo Carrefour Brasil, Charles Desmartis, e representantes de entidades e empresas do setor da pecuária bovina.

 

“Essa iniciativa marca mais uma importante etapa do compromisso global do Grupo Carrefour para que as cadeias de fornecimento da companhia sejam mais sustentáveis. Atualmente, a pecuária tem importantes desafios para conciliar a produção e conservação, em especial, na Amazônia. Por isso, direcionamos nossos esforços para mudar este cenário ao lado da iniciativa pública, privada e sociedade civil”, destaca Paulo Pianez, Diretor de Sustentabilidade do Carrefour Brasil.

                                                                                                                        

A inovação a serviço de uma produção sustentável

 

A ferramenta desenvolvida pela AgroTools irá cruzar os dados das plantas produtivas de cada fornecedor do Grupo Carrefour Brasil com critérios públicos para identificar possíveis inconformidades, coibindo que as fazendas produzam carne em áreas de desmatamento ou embargadas, unidades de conservação, terras indígenas ou mesmo com uso de trabalho análogo ao escravo. Com a medida, milhares de fazendas que fornecem para os frigoríficos parceiros do Carrefour e Atacadão passam a ser rigorosamente acompanhadas. A implantação do sistema será feita progressivamente e será concluída até o próximo ano.         

 

"A parceira da AgroTools, líder em geomonitoramento e Big Data no país, permitirá o acesso de todos os seus fornecedores de carne  às nossas tecnologias inovadoras e metodologias de controle socioambiental, reconhecidas mundialmente", diz Breno Félix, Diretor de Inovação da AgroTools.

 

Monitoramento abrange os biomas brasileiros

Auditorias externas realizarão verificações constantes sobre tudo o que é cadastrado pelos fornecedores na ferramenta e, em caso de descumprimento de pelo menos um dos critérios, a relação comercial será imediatamente suspensa até sua comprovada regularização. Desde o momento em que uma fazenda é cadastrada e passa a ser monitorada, já está suscetível às exigências e sansões determinadas pela política e presentes em contrato. Todos os biomas brasileiros estão contemplados pela plataforma, sendo que o monitoramento do desmatamento será concentrado na região Amazônica, que reúne 28 plantas produtivas que trabalham em parceria com fornecedores do Carrefour e Atacadão.

Campanha de comunicação para apoiar o projeto

 A construção da campanha para comunicar os consumidores sobre este processo de monitoramento da carne se inicia no próprio evento de lançamento da nova plataforma. Na ocasião, os cerca de 100 convidados participam de pesquisa qualitativa sobre a melhor forma de informar o consumidor sobre os atributos da pecuária sustentável. O resultado será debatido com as principais ONGs ligadas ao tema, resultando em um direcionamento único para a comunicação que será implementada nas lojas da companhia entre 2016 e 2017.

 

Compromisso a longo prazo

 

Em 2010, o Grupo Carrefour comprometeu-se pelo desmatamento zero até 2020, como parte do Consumer Goods Forum. Desde então, uma política florestal foi desenvolvida pela companhia globalmente e cada país onde está presente tem a missão de cumprir este compromisso atuando de acordo com os desafios locais. A gestão rigorosa e sustentável de cadeias, especialmente de óleo de palma, madeira, soja e carne bovina, está entre as prioridades do grupo.

No Brasil, o Grupo Carrefour vem apoiando diversas iniciativas setoriais para o estabelecimento de um programa voltado ao controle da cadeia da carne. Desde 2009, a companhia integra o GTPS - Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável. A empresa também é membro fundador do InPacto – Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo. Paralelamente, desde 1999, a companhia comercializa no Brasil diversos produtos que recebem o selo do Programa Garantia de Origem, que controla 100% do processo produtivo. Hoje, comercializa mais de 160 produtos com este selo, dentre eles a carne. Em 2013, foi pioneira no lançamento da carne bovina com certificação Rainforest Alliance. O selo atesta que a carne é proveniente de fazendas que seguem rigorosas normas internacionais de conservação ambiental.  

Sobre os critérios adotados pelo protocolo de controle da pecuária:

- Desmatamento: critério espacial do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), divulgado anualmente pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que monitora os desmatamentos na Amazônia Legal via satélite;

- Áreas embargadas: lista atualizada diariamente com as áreas embargadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) devido à prática de atividades ilegais;

- Unidades de conservação: critério espacial disponibilizado periodicamente pelo Ministério do Meio Ambiente em conjunto com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que indica a localização exata e limites territoriais das unidades de conservação;

- Terras Indígenas: critério espacial disponibilizado periodicamente pela Fundação Nacional do Índio (Funai), que indica a localização exata e limites territoriais das áreas indígenas protegidas por lei;

- Trabalho escravo: ‘Cadastro de Empregadores’, baseado na ‘Lista Suja do Trabalho Escravo’ fornecida pelo Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo (InPACTO), onde consta a relação de empresas que tenham submetido trabalhadores a condições análogas à escravidão entre abril de 2014 e abril de 2016.